O Amor em um Ato

O AMOR EM UM ATO | 2012 | 06 min

Partindo da apropriação de um filme pornográfico amador e de baixa resolução, o vídeo reconfigura suas imagens através de reenquadramentos, distorções e outros processos plásticos. Desse modo, as imagens adquirem uma poética instável em que o ato sexual e o desejo se transformam em objetos sombrios e enigmáticos, construindo uma política de gestos particular e ambígua.

O Amor em um Ato erotiza um filme pornográfico amador, mesclando categorias geralmente tidas como opostas e dialogando com uma tendência cada vez mais frequente em representações visuais do sexo. Cabe notar em seu título a ambivalência nas palavras ‘amor’ e ‘ato’, referindo-se ao tal sentimento no tempo dramático de um ato (não à toa, a famosa curva dramática de Aristóteles lembra a curva do orgasmo desenhada por Wilhelm Reich), mas também ao “fazer amor” como eufemismo para o sexo sem implicações emocionais, ato animal que só adquire novos sentidos na sujeição à sensibilidade humana.
João Krefer, Exposição Masculino/Feminino/, Museu Oscar Niemeyer